"Já sei fazer contas"

O Francisco mal chegou à sala mostrou-me o quadro mágico no qual escreveu 1+2=3. Disse-me que já sabia fazer contas.  Aproveitei a oportunidade e, depois de dizer ao grupo o que ele já sabia fazer, chamei o Francisco ao quadro para ensinar aos outros o que tinha aprendido. A seguir  foram os outros ao quadro experimentar. Aprenderam logo de manhã o significado do sinal mais (+) e igual (=).
Ao longo do dia alguns foram colocando a si próprios desafios para resolver. Aqui vemos uma estratégia para chegar ao resultado final (traços).

Aprender a jogar dominó não foi dificil e tem divertido bastante. Aqui vemos alguém muito divertido porque o amigo teve de ir buscar muitas peças ao montinho. Ganhar é bom.
Uns aprenderam a jogar comigo. Outros aprendem com os amigos.
Espero jogar com as meninas na sexta-feira. Ainda não as convenci. 

Pinturas de ontem.

A nossa horta

A Inês R. trouxe sementes de coentros e o Duarte trouxe pés de hortelã.
Começamos por preparar os canteiros. Foi preciso arrancar as ervas e as raízes e para isso contamos com ferramentas de jardineiro. Agora só falta a salsa.

Antes de meterem as mãos na terra conheceram uma poesia em forma de flor que fala de uma semente que caiu na terra.
Os mais crescidos ilustraram uma poesia. Para tal foi preciso descobrir o significado das palavras em negrito. Esse foi o desafio. As palavras foram escritas no quadro e ao lado estavam as imagens.



Plano da semana: 28 de Nov a 2 de Dez


Vamos dar utilidade aos canteiros situados à entrada da sala.
A Inês R. falou-me da horta da avó com muito entusiasmo e com tanta clareza que percebi logo que contaria com uma ótima colaboradora para este trabalho. Iremos então cultivar ervas aromáticas sob supervisão da nossa especialista.
Conheceremos a forma oval e daremos uma atenção especial ao dominó tradicional. É um jogo com regras específicas e que se joga aos pares e vem dar uma ajuda na aprendizagem dos números. O número da semana é o seis.
Continuamos com as vogais. Se juntarmos 2 vogais criamos um ditongo. Foi algo que fizemos na semana anterior mas nesta semana daremos mais atenção ao assunto. 


Jogo da poupança II

Na atividade  anterior o objetivo consistiu, essencialmente, em alertar para o benefício da poupança.
A atividade de hoje veio reforçar essa ideia e também tornar compreensivel o conceito de crise. Crise é uma palavra que ouvem repetidas vezes, seja na televisão, seja em casa, e que escapa ao seu entendimento.
 Para que entendessem o conceito, relembramos o custo dos produtos do jogo anterior (1 produto = 1 nota). Hoje, devido à crise, o custo do mesmo produto seria de 2 notas. Houve no entanto produtos no valor de 1 nota mas os mais apetecíveis tiveram o preço aumentado. 
Para agravar a situação e adequar o jogo à realidade de muitos portugueses, em vez de receberem 3 notas para gastar, receberam apenas duas. Ou seja, viram reduzido o rendimento e aumentado o custo dos produtos. É a crise.
Mais uma vez, houve quem sucumbisse ao consumo mas o número de consumidores cautelosos aumentou. Quem tinha poupado no jogo anterior optou por continuar a poupar e alguns gastadores, desta vez, tiveram outro comportamento. Há, nítidamente, uma alteração no comportamento dos consumidores da Sala 9. Quando lhes disse que a loja abrirá novamente na próxima segunda-feira, a Bárbara disse: " Oh... assim gastamos o dinheiro todo".  Primeiro manifestou satisfação mas a preocupação em poupar manifestou-se logo a seguir, o que achei curioso. Respondi que, gastar ou não, é uma escolha.


Letras & números

As vogais já não são um mistério e a associação de letras desperta sempre grande interesse sobretudo quando o desafio consiste em descobrir palavras que começam com determinada sílaba.
Hoje foram alertados para as outras letras do alfabeto e brincamos com o nome do Pedro. Como soaria se em vez da letra e a seguir ao P estivesse outra vogal?
Depois tentaram (e conseguiram) descobrir palavras que começam com os sons pa, pe, pi, po, pu.
 Trabalhar no caderno também já entrou na rotina.
Continuamos a insistir nos números de 1 ao 5 mas como alguns já conhecem números mais elevados, vamos associando os números e descobrindo que dessas associações resultam  outros números.

"O gelo é gelado"

De manhã soou o alarme (3 toques de campainha) e participamos em mais um exercício de evacuação. Desta vez foi sem aviso prévio e correu tudo bem.
Tinhamos intenção de fazer uma experiência que não funcionou e em substituição falamos dos estados físicos da água. Mais tarde vimos um vídeo onde a experiência pretendida correu na perfeição. Nem sempre as coisas acontecem como previsto mas o importante é rir com a situação e dar a volta à questão. Foi o que fizemos.


A mesa da colagem está a ser um sucesso.
 Navegando pelo YouTube estes amigos procuram vídeos musicais. O género kuduro faz sempre sucesso.

Atividade experimental

Começamos por falar sobre o método científico e por conhecer o significado do ponto de interrogação ?. A atividade experimental desenvolveu-se nos dois períodos do dia. De manhã, depois de observarem os objetos de estudo, cada um formulou e registou as hipóteses relativamente ao seu comportamento quando inserido na água: flutua / não flutua.
A experiência aconteceu no período da tarde.  Obtidas as respostas para cada um dos objetos em estudo, registaram os resultados obtidos através da experimentação e compararam os registos. Validaram-se algumas hipótes e rejeitaram-se outras.  Até houve algumas surpresas.

Registo individual ( 5 anos)
 

Registo coletivo (3,4 anos)

Plano de trabalho: 21 a 25 Nov

A ciência será o tema da semana. O dia mundial da ciência (24) é um dos eventos assinalados no nosso calendário e o tema merece uma atenção especial.                              As descobertas científicas fazem-se notar em todos os aspetos da vida e disso daremos conta. É preciso constatar na realidade que nos rodeia os benefícios da utilização do conhecimento científico para que ele ganhe sentido. Faremos uma experiência em cada dia da semana mas antes procuraremos conhecer o método científico.
As 4 formas básicas continuarão a merecer atenção, assim como os 5 números e as 5 vogais. É preciso dar tempo a quem precisa porque os ritmos de aprendizagem não são iguais. Tentaremos fazer associações entre os números e continuaremos a tentar descobrir as vogais em algumas palavras.
Como sempre, esta é apenas uma síntese da atividade prevista. Daremos aqui conta das atividades desenvolvidas em cada dia da semana.



Exercício de evacuação

Hoje fizemos um exercício de evacuação para conhecer o percurso, as regras e o ponto de encontro. Está agendada para a próxima semana uma simulação de incêndio na escola.
A Matilde foi nomeada cerra fila e a Inês C. a chefe de fila e ambas mostraram ter perfil para a tarefa.

Terminamos hoje o tema da semana. O mar serviu de pano de fundo para a concretização de atividades das várias áreas curriculares.
Ontem foram acrescentados à sala mais dois centros de interesse que agora estão, em permanência, à disposição das crianças. Trata-se do espaço para recorte e colagem e do espaço para pintura. Recortar e colar sempre foi possivel mas agora passamos a ter um espaço mais definido e com mais materiais à disposição. Pintar resulta agora da vontade de cada um e não da determinação do adulto. A introdução agora destes dois espaços resulta do desenvolvimento da autonomia e da assimilação de regras por parte do grupo.
Hoje concluímos trabalhos iniciados, verificamos os cadernos e arrumamos nas pastas os trabalhos que não vão para no caderno. Ficou combinado que sexta-feira é dia de concluir tarefas.
Bom fim de semana. Espero que os meninos doentes melhorem depressa e regressem na segunda-feira.

Dia nacional do mar

Fomos à pesca. Não é uma tarefa fácil.
 Completamos o trabalho iniciado ontem com a dobragem de folhas da lista telefónica. Os meninos de 5 anos foram dobrando de acordo com o exemplo da educadora e fizeram um barquinho de papel. Como a tarefa era dificil, os mais novos viram como se fazia e depois coloriram.
Hoje rasgaram as folhas pintadas ontem e com elas fizeram o mar.

O mar tem sido tema de destaque. Hoje de manhã a conversa desenrolou-se à volta destas imagens.
 
À tarde vimos uma história ilustrada por outras crianças que veio reforçar a ideia da necessidade de respeitar o mar.
Ontem vimos e ouvimos uma história cantada.




o mar

Começamos o dia com a apresentação do plano da semana como é hábito.
A conversa desenrolou-se depois sobre o mar, os peixes e os pescadores. Para ajudar a mergulhar no tema vimos este vídeo.

Plano de trabalho: 14 a 18 Nov

O tema da semana é o mar, a propósito do dia nacional do mar, dia assinalado no nosso calendário.
O mar é azul, assim como a cor que utilizaremos nas criações de expressão plástica. O rectângulo terá uma atenção especial e merece também uma quadra.
O número da semana é o cinco e com este número ficaremos durante algum tempo. As letras o e u vêm completar o conjunto das vogais.
Flutuar é capacidade de um objeto manter-se à superfície de um líquido e tentaremos ver que outras coisas flutuam para além dos barcos.
A música, os livros, os recursos na internet, ajudarão a saber um pouco mais sobre o mar e a conhecer a sua importância.


Dia de S. Martinho

Como conta a lenda, o sol apareceu e vimos o verão de S. Martinho.
A adivinha deixou todos em silêncio a pensar numa resposta. O Pedro respondeu e acertou e o Rodrigo L. explicou cada verso, associando-os à castanha.
À tarde comemoramos o S. Martinho com os meninos das outras turmas. Houve música, teatro e o conto da lenda. A Sala Nove cantou uma canção. 

  video


A castanha

 Conhecemos hoje mais dois amigos que vieram juntar-se ao grupo. Já temos a sala cheia. São 10 meninas e 15 meninos.
Como amanhã é dia de S. Martinho, começamos a manhã com a música que iremos cantar para os outros meninos da escola. Depois, porque a castanha é a estrela do magusto, cada um fez um boneco(a) castanha para levar para casa.
Amanhã teremos o senhor assador de castanhas no recreio e comeremos castanhas assadas.

Um dia como outro qualquer

A árvore do outono já contém os símbolos dos dias passados. São os dias que já fizeram parte dos calendários dos meses de setembro e de outubro. A estes, juntar-se-ão os dias de novembro e dezembro, correspondentes a esta estação do ano. É uma espécie de álbum de recordações a que recorreremos a fim de lembrar acontecimentos do passado.
Este exercício (recordar e relacionar os acontecimentos com determinado espaço temporal) ajuda a criança a percepcionar a passagem do tempo e a conhecer a sequência dos acontecimentos.

Ficamos a conhecer a lenda de S. Martinho através deste vídeo. Para amanhã ficou a tarefa de ilustrar imagens sobre a lenda e ordenar de acordo com a sequência correcta. Veremos quem esteve com atenção à história e quem se recorda.


Os meninos mais velhos ainda procuraram a letra i em algumas palavras.
Três amigas juntaram esforços e fizeram um desenho que merece destaque no blogue.

Ainda descobrimos uma animação que é também um jogo interativo e que agora se veio juntar às outras hiperligações do blogue. Foi um momento animado. Esperimente também! Clique aqui.


Outono

A semana começou com a justificação da continuidade do plano de trabalho e depois vimos o que havia de novo no blogue da sala.
Vimos a quadra "O outono" e tentamos encontrar as palavras que rimam. Depois cada um fez a sua árvore com casca das árvores do recreio e musgami.
 À tarde reproduziram a palavra outono através da colagem de letras.



Plano de trabalho: 7 a 11 Nov

Continuamos com o plano da semana anterior, apenas com a alteração do vocabulário. 
Vamos aprender a associar no âmbito da matemática e a estabelecer associações em aspectos relacionados com outras áreas curriculares.
O S. Martinho é um dia assinalado na nossa agenda do mês e acontece sempre no outono. Será também assunto de trabalho. Conheceremos a sua lenda e esperamos comer castanhas assadas como manda a tradição.
Construiremos uma árvore do outono que será, simultâneamente, a depositária das lembranças do outono. Recortaremos do calendário do mês de setembro e outubro os dias assinalados com os eventos que vivemos e penduraremos na árvore. Assim será mais fácil associarmos os eventos às estações do ano em que ocorreram.
No fim da semana anterior experimentamos usar a régua para desenhar o quadrado. Continuaremos com a experiência.
Agora que já fotografamos evidências do outono, dedicaremos alguma atenção aos frutos característicos desta estação e também ao vestuário.




Fotografar o quatro

É outra forma de registar o número ou a quantidade equivalente a 4.
Já que estamos a experimentar a fotografia o desafio de hoje consistiu em representar o número da semana (4) e apresentar o trabalho recorrendo ao registo fotográfico.
 Foi um desafio com 2 graus de complexidade.
- Para os mais velhos (5 anos) a tarefa consistiu em procurar na sala formas de representar o 4. Como qualquer desafio, este também teve condicionantes: não podiam escrever o número para depois o fotografar nem seriam aceites ideias repetidas. "Era preciso pensar pela sua cabeça."
- Para os novos (3 e 4 anos) o objetivo consistiu em contar peças de jogo até 4 e fotografar a quantidade. Quem ainda não sabe contar teve ajuda na contagem e duas crianças precisaram de ajuda para premir o botão.
video
Houve ideias que se formaram de imediato e outras demoraram um pouco mais. Mas não muito.
Alguns aproveitaram os registos afixados na sala e outros criaram a representação para a fotografar. Foi um processo criativo.
No fim da tarde visionaram as imagens e comentaram os trabalhos.


Fotografar o Outono

Estava previsto um passeio a pé pela vizinhança da escola para procurar e fotografar evidências do outono. Não foi necessário (nem possível) sair porque hoje o outono resolveu marcar presença no recreio. Em conversa, foram apontando o que consideravam sinais de que estávamos nesta estação do ano: folhas de árvore caídas no chão, árvores com falta de folhas, chuva, chão molhado, vento, nevoeiro e frio. Quando lhes pedi para olharem uns para os outros, chegaram a outras respostas:  manga comprida, calças, casaco, ténis e gorro. Alguém ainda se lembrou do guarda-chuva.
Estava feito o levantamento de sinais que poderiam fotografar.
- "Com uma máquina de verdade?!" (Francisco S)

Dei apenas duas dicas aos fotógrafos: focar o alvo e não deixar cair a máquina. A Inês C. lembrou-se de um detalhe importante: não colocar o dedo à frente da lente!

video

No fim da tarde visualizaram as imagens no computador. Nesta atividade participaram todos. Os mais novos tiveram uma ajuda. Amanhã iremos fotografar objectos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...