Último dia do mês

É dia de preencher o registo mensal de faltas. É uma tarefa para os mais velhos.
Assinalar os fins de semana, feriados e dias que faltou à escola. O objetivo consiste em  interpretar o quadro e dar significado ao  registo das presenças.

 Hoje continuaram a trabalhar aos pares. Foi a vez daqueles que ontem não o fizeram.

Ficha de trabalho. Descobrir o ditongo em falta.

Ilustrar a pares

Ontem criaram uma história a partir de uma ilustração. Hoje criaram uma ilustração para a história.
A tarefa foi realizada a dois, cabendo ao elemento mais velho orientar o trabalho e o colega. Foi preciso decidir que parte da história iriam ilustrar, dividir tarefas, orientar o colega mais novo e, este, concretizar a parte que lhe cabia. Continuaremos amanhã com com aqueles que hoje não tiveram tempo para fazer a atividade.


Os mais velhos, um a um, foram resolvendo operações de subtrair no quadro preto. Os mais novos, com a ajuda dos dedos, mostravam com quantos dedos ficavam quando escondiam um.


Hoje foi também um dia de festa. De manhã a aniversariante teve uma surpresa. Dois balões falantes e brincalhões deram-lhe os parabéns e os amigos cantaram para ela.

Era uma vez...uma ilustração

Iniciamos a semana com a apresentação do plano de trabalho. Para surpresa de todos, levei dois amigos para me ajudarem a abordar o tema da semana. Foi uma animação quando ouviram falar nos meninos da sala 9.


As ilustrações ajudam a contar histórias quando se juntam às palavras mas às vezes nem precisam de palavras porque a história é contada apenas com imagens.
Depois da conversa pensaram que iriam fazer desenhos para ilustrarem os acontecimentos do fim de semana. Mas hoje não foram ilustradores. Hoje foram criadores de histórias. A partir desta ilustração criaram uma história porque imagem já nós tinhamos. 

Ilustração: Jaime Lopes


   Era uma vez…
Dois irmãos que viviam numa aldeia e nessa aldeia havia um rio. Um dia, os meninos foram para a ponte e depois encontraram um castelo muito grande e no castelo vivia um dragão. Os meninos começaram a lutar com o dragão e derrotaram o dragão e depois entraram no castelo e lá dentro encontraram uma coisa. Encontraram o rei do castelo e a rainha, que era a mulher do rei.
Depois espreitaram por uma janela do castelo e viram um arco-íris lá fora. Estava a chover e também estava sol. Depois saíram do castelo e foram ter ao arco-íris e molharam-se todos porque estava a chover.  Depos viram a floresta toda estragada porque choveu muito mas continuaram a ver o arco-íris e então tiveram uma ideia. A menina disse assim para o mano:
__ “Mano, e se subíssemos pelas cores do arco-íris e fôssemos ver o que há do outro lado?”
O mano respondeu:
__ “Não mana! Não podemos ir. Temos de ir para casa.”
E a mana disse:
__ “Eu vou subir! Tu vais para casa.”
 O mano foi para casa e a menina subiu pelo arco-íris. Depois o irmão encontrou a avó e o avô e contou o que a irmã estava a fazer. Eles foram ter com ela e a avó disse:
___”Desce já daí porque não é seguro!”
Mas a menina não quis descer. A menina disse:
___ “Não avó, é muito divertido.”
A avó não gostou. Ela estava a ser desobediente e a avó foi buscar a menina. Mas a menina caiu e partiu um braço. Depois foram-se embora e ela ficou uns dias no hospital e só depois é que foram para casa.
Depois veio o natal e o pai natal foi a casa deles e trouxe presentes para todos mas para ela não. Trouxe um presente à avó, ao avô, ao menino e a ela não. Para ela trouxe só carvão porque ela desobedeceu à avó e ela aprendeu uma lição. Não se pode desobedecer à avó!
Vitória, vitória, acabou-se a história.

Plano da semana: 27 de fev. a 2 de março


Como seriam as histórias sem as ilustrações? Muito menos apelativas com certeza.
E que histórias podemos construir a partir de uma única ilustração? Provavelmente histórias interessantes e criativas.
Será este o tema integrador das atividades da semana.
Na matemática, estando já familiarizados com a adição, é hora de iniciar com outro tipo de operação: a subtração. Iremos aprender a fazer contas de menos. Em vez de juntar (somar), tiramos (subtraímos).
Os ditongos nasais merecem a insistência no tópico. O carnaval meteu-se no meio e por isso ficou ainda muito que conversar sobre o assunto.

Entre histórias e ilustrações, entraremos no mês de março e iniciaremos novo calendário.


Um dia descontraído

A semana de dois dias terminou descontraidamente. De manhã a pintura fez-se na rua à luz do sol.
 A pintura prolongou-se pelo início da tarde, à sombra. O sol aqueceu e o recreio tornou-se mais apelativo do que o interior da sala. Outros jogavam futebol.
 Durante a nossa ausência a natureza fez das suas e houve quem se apercebesse: "Olha!" 
Afinal aquele ramo seco é uma amendoeira e já deu flor.

Depois foi só brincar.

video

Bom fim de semana.

Desfile de carnaval

Hoje foi dia de desfile e de festa no Centro Cultural António Aleixo.




Voltaremos à escola na 5ª feira. Divirtam-se. Bom carnaval.

Preparativos para o desfile

Hoje foi dia de fazer maracas para animar o desfile de amanhã. A música também já entrou no ouvido.
Estão prontos  para o carnaval.


Ontem recortaram e completaram o puzzle do palhaço e os mais pequeninos colorirarm um desenho de modo a fazer corresponder a figura à cor.


No youtube vimos alguns vídeos do Batatoon.


Dia de S. Valentim

Em dia de S. Valentim alguns escolheram fazer postais para levar para casa e oferecer à família.
 À tarde houve lanche partilhado no recreio.
 As pinturas faciais ajudaram a animar a tarde.


De manhã vimos esta pequena história e conversamos sobre o assunto.



 Mas o dia não foi dedicado apenas ao S. Valentim. Continuamos a fazer palhaços com materiais variados.


Plano da semana: 13 a 25 de Fev


O carnaval será o tema em destaque nas duas proximas semanas intervalando com o S. Valentim (14) e 3 dias de interrupção letiva (20,21,22).

Amigos de verdade

Para que queremos um amigo?
Para brincarmos com ele. (David)
Para conversar e para ficarmos sempre juntos. Também queremos amigos para abraçar porque gostamos muito deles. (Rodrigo L.)
Ser amigo de verdade é ser amigo. Ser amigo é bonito. (Francisco Sabino)

Não são amigos de verdade...
Quando não querem brincar. (Joana Bernardo)
Quando fazem mal (F. Sabino)
Quando fazem coisas que nos deixam tristes e fazem-nos mal (Tomás M.)
Quando gozam conosco e dizem coisas más.(Inês C.)

Se não é um amigo bom já não brincamos com ele (Sabino)
Se isso acontecer vou procurar outros amigos. (Rodrigo L.)


Esta semana falamos de atitudes, de comportamentos, de escolhas e de consequências. Hoje ainda falamos da importância de fazermos as pazes com os verdadeiros amigos quando, por uma razão pequenina, nos desentendemos.
Aprender a valorizar os amigos, assim como identificar aqueles que não se comportam como tal, é importante para estabelecer relações saudáveis logo a partir da infância.  Somos amigos de quem queremos e queremos apenas quem se comporta como tal. 
Procurou-se valorizar a escolha individual enquanto fator determinate na busca do seu bem estar e as escolhas mostram-se nas atitudes, no comportamento, nas relações  que estabelece  com os outros.
No início da semana, para perceberem que todos transmitem uma imagem ao outro (boa ou má), disseram  o que pensam dos colegas, fazendo uma fotografia com palavras. Houve quem ficasse muito satisfeito mas também quem dissesse que iria mudar de atitude para melhorar a fotografia que faziam dele. O jogo mostrou que as crianças são muito mais observadoras do que parecem e críticas quando é necessário.

Esta semana tivemos TIC e assim será todas as quintas feiras. É mais uma oportunidade para desenvolver competências nesta área.
As histórias mostraram-nos que há lições a reter e terminamos a semana com a história do Pinóquio. Um filme que  vemos aos pedaços para ir falando sobre o enredo. Continuaremos com esta história na segunda feira.


A conta gotas

Assim foi a pintura de hoje. É sempre bom experimentar algo novo.

Com os mais crescidos insistiu-se nos conceitos > e <. 
 Hoje tivemos um paparazzi na sala.

Ainda viram mais este filme antigo da Disney, que adoraram, e depois ouviram outra versão do Pedro e o lobo que  trouxe mais uma lição: no mentiroso ninguém acredita mesmo que ele diga a verdade.



A lição do Capuchinho vermelho

A semana começou com a apresentação do plano de trabalho. A apresentação Escolhas serviu de apoio à abordagem do tema em foco esta semana. Falar em escolhas e consequências é algo a que já estão habituados mas ao saberem que este é o assunto em destaque perceberam que era algo sério, algo que lhes dizia respeito.  
A história do Capuchinho Vermelho conta-nos a aventura de uma menina que escolheu desobedecer e em consequência, colocou-se a ela, e à avó, em perigo. Foi disso que falamos ao explorar a sequência do enredo. Depois coloriram e ordenaram imagens da história. Os mais novos precisaram de ajuda nesta tarefa.
 Hoje ainda vimos a animação da Pixar que mostra atitudes pouco simpáticas e ensina-nos algo que é do conhecimento popular: "quem ri por último, ri melhor".

 Os mais crescidos começaram a fazer exercícios com os ditongos ão e ãe. 

Plano de trabalho: 6 a 10 de fev.

Valores e atitudes não se ensinam nem se aprende numa lição. É o tipo de aprendizagem que se processa no seio familiar através da interação com os membros da família e amigos. Sabemos que as crianças à medida que se vão tornando mais autónomas tendem a colocar os limites um pouco mais além, e nesse processo, que é natural, tendem a cometer exageros que podem tornar-se prejudiciais ao seu desenvolvimento. Cabe ao adulto desempenhar a sua função (pai/mãe/professor) e orientar a criança nesta fase para o que é desejável no percurso do seu desenvolvimento. Isto é, cabe ao adulto mostrar à criança o que é adequado e o que é desadequado enquanto comportamento ou atitude.
Porque faz sentido nesta altura, daremos uma atenção especial ao assunto no sentido de reforçar o que tem sido uma preocupação desde o início do ano letivo.
Na matemática há interesse em consolidar aprendizagens realizadas nas últimas semanas e a insistência nos tópicos serve também o propósito de ajudar quem aprende a um ritmo mais lento.
Na leitura e escrita os ditongos nasais (ão, ãe, õe) estarão em destaque.
Em síntese, estes são os temas chave da semana.


Dia de síntese

Sexta-feira é dia de agrupar e recapitular.
Revêem-se e reforçam-se aprendizagens efetuadas durante a semana. Sabem que segunda-feira terá início novo ciclo. É assim que nos organizamos e construimos o nosso caminho.


Bom fim de semana.

Retalhos do dia

Hoje foi dia de concluir alguns trabalhos e de saborear algo doce. De manhã a Sofia ensinou-nos a fazer salame de chocolate que comemos à tarde.
 Quem ainda não tinha feito ou quem não tinha concluído a tarefa com a impressão das mãos, concluíu hoje o trabalho. Pretendeu-se trabalhar a lateralidade e foi mais uma oportunidade para exercitar a escrita.

 Jogou-se ao jogo do galo a pares e aproveitou-se a oportunidade para ensinar a lenda do galo de Barcelos. Situamos a localidade no mapa de Portugal só por curiosidade, vimos na internet o tradicinal galo e por fim cada um coloriu o seu. 

Novo calendário

Começamos um novo calendário e como é hábito assinalamos os fins de semana e os dias especiais.
Continuamos com o tema da semana. No início da semana vimos uma apresentação e um vídeo no youtube onde mostrava que a informação recolhida pelos órgãos era processada pelo cérebro. O livro do Pedro serviu também para recolher mais informações sobre os órgãos e os sentidos. Temos feito algumas experiências com os sentidos no sentido de  identificar o órgão implicado na recolha de informação (os sons captam-se com os ouvidos, as imagens com os olhos,...).
 A propósito do tacto, aproveitamos para fazer a impressão das mãos. Na cartolina ficaram gravadas as linhas da pele. Serviu também para trabalhar a lateralidade e após identificarem as mãos direita e esquerda, copiaram as palavras e colaram na cartolina.
 Hoje foi a vez das crianças mais novas trabalharem com os símbolos > e <.
Parecem ter percebido que o lado aberto corresponde ao maior e o biquinho ao mais pequeno.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...